29.3.16

Conto: semana colorida

Era manhã de início de outono. Eu caminhava em direção ao trabalho quando uma borboleta pousou no meu braço. Ela era amarela, muito bonita. Sorri comigo mesmo. Continuei a andar e a borboleta não fez questão de sair. E assim permaneceu até eu chegar ao meu destino.

O amarelo da borboleta se destacava no preto de meu casaco. Guardei minhas coisas e sentei em minha cadeira. Disse bom dia para meus colegas e todos curiosos perguntavam sobre a borboleta. E eu apenas dizia a verdade: ela pousou em mim e provavelmente gostou.

Liguei meu computador e dei início aos meus trabalhos, e-mails para ler e responder, planilhas para preencher, ligações para fazer, e a borboleta continuava pousada em meu braço – mesmo com toda minha movimentação.

Deu o horário de almoço. Entrei na fila para o buffet e minha amiga, que carinhosamente eu já havia apelidado de Diana – um nome que acho adorável – continuava em seu lugar. Alguns colegas fizeram menção em espantá-la, mas eu obviamente não deixei. Se Diana gostou de pousar em meu braço, certamente eu não iria toca-la embora.

Voltei ao escritório acompanhado de Diana. Eu estava mesmo acostumado com ela em meu braço. Ao final do expediente, assim que cheguei à calçada, Diana saiu voando livremente. Fiquei triste de início, pensei que ela iria para casa comigo. Mas depois compreendi: meu braço não é o lugar mais adequado para uma borboleta passar seu dia.

Porém, na manhã seguinte, pasmem, uma borboleta azul pousou em meu braço. Acompanhou-me no trajeto e durante todo meu dia de trabalho. Escutei, inclusive, diversos comentários e piadas de meus colegas devido a minha nova amiga, esta que chamei de Laura.

E Laura, assim como Diana, saiu voando assim que eu cheguei à calçada, no final do expediente.

Esta curiosa situação se repetiu durante toda semana. No outro dia quem me acompanhou foi Kate, uma adorável borboleta preta com detalhes laranjas. Já no dia seguinte foi Dina, uma borboleta branca. E na sexta-feira quem me acompanhou foi Rita, uma curiosa borboleta verde.

Certamente essa semana foi muito diferente. Não recebi mais visitas de minhas amigas, mas sempre penso nelas e espero o dia em que voltem a pousar em meu braço.


























Este é um conto que escrevi há alguns dias e tive vontade de compartilhar por aqui. A inspiração veio repentina, fui escrevendo e deixando as ideias surgirem. Espero, de verdade, que tenham gostado.

Acompanhem-me nas redes sociais: Facebook / Instagram / Youtube
Também estou no snapchat: andressabruske

2 comentários:

  1. Ual! Adorei sua inspiração, parece que fluiu tao facilmente de você para cá rsrs

    ResponderExcluir